ABC - Política -

Por apoio, Doria tenta “promover” Orlando Morando e Paulo Serra dentro do PSDB

Apesar de contar com apoio declarado de PMDB e DEM, João Doria busca ganhar força dentro do próprio PSDB para ser o nome a disputar a presidência da República em 2018. Sem esquecer que o governador Geraldo Alckmin também pleiteia o posto de presidenciável pelo partido.

A estratégia do prefeito de São Paulo é emplacar aliados do Grande ABC (onde quatro cidades estão sob o comando de tucanos) em posições estratégicas na direção do PSDB. Doria tentará alocar o prefeito de São Bernardo, Orlando Morando, na executiva nacional, e o de Santo André, Paulo Serra, na estadual.

Serra, Morando e Doria em evento em São Paulo

Desde o início do ano, Doria tem costurado esses apoios e dedicado atenção especial à região, berço petista mas que atualmente não tem nenhuma das sete cidades nas mãos do partido de Lula e cia. (algo inédito desde 1982). Os chefes do Executivo do ABC, por sinal, não têm disfarçado a “tietagem” e a inspiração no modelo adotado pelo prefeito pop – que evidencia seu perfil gestor -, com direito a muitas lives nas redes sociais e estratégias parecidas de marketing.

Além de garantir assento para a Capital no Consórcio Intermunicipal Grande ABC, Doria esteve com Morando em ação conjunta de zeladoria na divisa de São Bernardo com São Paulo e faz questão de chamar o prefeito da cidade vizinha de “grande amigo” (vale lembrar que emprestou até seu jingle de campanha e o “João trabalhador” virou “Morando trabalhador”). Nesta semana, contou com o prefeito de São Caetano, José Auricchio Júnior (PSDB), em sua comitiva rumo à Bahia – onde ocorreu o episódio da ovada – e abriu o 1º Meeting Empresarial de Santo André, ao lado do prefeito Paulo Serra.

ACM Neto e Doria ao lado de Auricchio em Salvador

Na verdade, há quase um mês, as lideranças do PSDB do ABC iniciaram discussões visando mais espaço para a região na executiva nacional do partido. Além de Doria, o coordenador regional da legenda, Marcio Canuto, teria garantido o apoio de Bruno Covas, vice-prefeito de São Paulo e secretário municipal das Prefeituras Regionais.

A convenção dos tucanos para a definição dos novos integrantes deve ocorrer ainda neste mês. O ABC nunca teve representantes na executiva nacional da sigla. Para Doria – que defendeu recentemente eleições para o diretório nacional do PSDB -, não é justo que pessoas que não passaram pela chancela do voto popular surfem na “onda azul”, ocupando postos de comando, enquanto políticos que estão exercendo mandatos estejam de fora.

Todo esse cenário vai contra o que o prefeito paulistano tem pregado até agora: que sua agenda é a cidade de São Paulo, apesar das viagens que começou a cumprir para fortalecer seu nome pelo Brasil, e que não pretende disputar prévias com Alckmin (seu padrinho político no PSDB). Assim como Doria já teve acenos de PMDB (e do próprio presidente Michel Temer) e do DEM (muito mais pelo desejo do prefeito de Salvador, ACM Neto, que do diretório paulista, por exemplo), o governador do Estado tem garantia de portas abertas do PSB nacional para concorrer ao Planalto.

Criador e criatura 

Alckmin, porém, não parece disposto a abrir mão de seu projeto e, atento às movimentações de Doria, teria manifestado que a eleição 2018 será a “eleição da experiência” (frase entendida como provocação ao afilhado, eleito prefeito de São Paulo no primeiro turno). Resta saber o que ele está achando da postura dos prefeitos do ABC, em particular de Morando, que como deputado estadual ganhou até fama de “papagaio de pirata”, devido à proximidade e ao desejo de aparecer em fotos e reportagens ao lado do governador. Hein!?

(Com informações da Folha de São Paulo e do Diário Regional)

Leia também:

Por aproximação com Auricchio, Pio Mielo pode rever projeto político

 

Compartilhar: