ABC - Economia -

Em agenda no ABC, Alckmin acompanha anúncio de investimentos da Volkswagen

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) participou, na manhã desta segunda-feira (14), de cerimônia de anúncio de investimentos da Volkswagen na planta da rodovia Anchieta, em São Bernardo. A montadora vai investir R$ 2,6 bilhões para o desenvolvimento e produção do novo Polo e do modelo sedã Virtus (a partir de 2018) no município do ABC.

“Quando falamos de automóvel, lembramos de São Bernardo, a capital do automóvel. E ao falar de marca de carro, pensamos na Volkswagen. Isso é identidade. Quando a fábrica chegou à cidade, na década de 50, cerca de 30 mil pessoas moravam no município. Duas décadas depois (1970), 200 mil habitantes estavam em São Bernardo. Hoje, é uma das melhores cidades brasileiras (com 822.242 habitantes segundo projeção do IBGE/2016)”, comentou Alckmin, exaltando a retomada da alta produção na montadora.

Durante a visita, o governador negou qualquer indisposição com o prefeito de São Paulo, João Doria, por conta da escolha do candidato do PSDB à presidência da República em 2018. Doria, que tem feito viagens pelo Brasil e cooptado aliados, fez questão de gravar um vídeo neste domingo (13), Dia dos Pais, reafirmando lealdade a Alckmin – com quem não teria intenção de disputar prévias no ninho tucano.

Embora tenha despistado sobre a definição do nome do PSDB na disputa ao Palácio do Planalto, o governador anunciou que atenderá a demanda do Consórcio Intermunicipal Grande ABC para a liberação de créditos do ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) para fomentar o setor de ferramentaria, decisivo para a cadeia automotiva da região. Os valores estão retidos e, segundo Alckmin, o Estado vai procurar liberá-los o mais rápido possível .

De acordo com Giovanni Rocco, secretário-executivo da Agência de Desenvolvimento Econômico do Grande ABC, a região (por meio de suas montadoras) tem R$ 6,2 bilhões retidos pelo Estado. Ele entregou ao governador protocolo de intenções, assinado também pela Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores), com o compromisso de que os recursos liberados serão exclusivamente para a compra de matéria-prima das empresas de ferramentaria paulistas.

Investimentos e parceria

A iniciativa da Volkswagen faz parte de um pacote de investimentos que deve movimentar R$ 7 bilhões até 2020. Para o prefeito de São Bernardo, Orlando Morando (PSDB) a confirmação do expressivo aporte financeiro vai aquecer a economia, bem como impulsionar a geração de emprego e renda na cidade.

Montadora alemã confirma aporte de R$ 2,6 bilhões em São Bernardo, além de produção do novo Polo e do sedã Virtus

“Sem dúvida, em um momento delicado como este na economia, a palavra de ordem é integração. Isso envolve a todos: o poder público, a empresa e o sindicato (dos Metalúrgicos do ABC, que articulou junto à montadora para a produção dos novos veículos na unidade Anchieta). Dessa união vai resultar a preservação de empregos e investimento para os próximos anos”, comentou Morando, que viajou para Wolfsburg, em junho, e conheceu a matriz alemã da Volskswagen (em janeiro, ele e diretores da fábrica no Brasil iniciaram tratativas sobre uma política de incentivos e a abertura de postos de trabalho).

“O momento é especial em nossa empresa. Coincidências felizes, uma vez que, ao completarmos 60 anos da primeira fábrica fora da Alemanha (a unidade de São Bernardo), confirmamos esse investimento”, pontuou David Powels, CEO da Volks no Brasil e América Sul. O evento também contou com a presença do ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira.

Contramão

Já a Ford anunciou, na última semana, a demissão de 364 funcionários que estavam em lay-off (com os contratos suspensos) da fábrica de São Bernardo. A empresa alegou que houve “necessidade de adequar os níveis de mão-de-obra às demandas de mercado”.

Por outro lado, a Prefeitura de São Bernardo destacou evento que oficializou a inauguração da M. Shimizu (instalada na cidade desde o primeiro semestre), também na última quinta-feira (10). A empresa, especializada em ferramentas industriais transferiu sua operação de São Paulo para o município, com projeção de expansão de sua capacidade produtiva e ampliação do quadro de funcionários (especula-se mais de 200 postos de trabalho). A transferência da estrutura fabril da Capital para o ABC demandou investimentos de R$ 8 milhões a R$ 10 milhões.

O setor automobilístico como um todo registrou alta de quase 18% na produção, em comparação ao período de janeiro a julho do ano passado. As exportações motivaram o impulso, uma vez que as vendas no Brasil apresentam tímida recuperação, de 3,3% no ano.

Leia também:

PSB de Mauá reelege presidente e quer Admir Jacomussi entre os filiados

Compartilhar: