ABC - Grande SP - Sociedade -

Região do ABC e todo o Estado voltam para a fase amarela

Governo de São Paulo reforça que a medida visa o controle da pandemia, com restrição a aglomerações, e não fecha setores econômicos

Desde o dia 06 de outubro na fase verde do Plano SP, as sete cidades do Grande ABC e toda a Região Metropolitana de São Paulo regrediram para a fase amarela nesta segunda-feira (30). O anúncio foi feito pelo governador João Doria (PSDB), direto do Palácio dos Bandeirantes, e visa o reforço em ações de enfrentamento da pandemia.

O aumento de 7% nas internações, com 1.259 pacientes internados pela doença, e de 12% no número de mortes, na última semana, em todo o Estado, motivou a decisão, informou a secretária estadual de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen. São Paulo tem atualmente 1.241.653 casos e 42.095 óbitos registrados. Nas UTIs Unidades de Terapia Intensiva) há 4.141 pessoas internadas, o que representa 52,2% de leitos ocupados.

Já na Grande São Paulo, esse índice está em 59,1%. Desde a última semana, Grande ABC e Baixada Santista já preocupavam médicos especialistas do Centro de Contingência do Coronavírus em São Paulo devido ao avanço da pandemia, mas o governo decidiu fortalecer ações de restrição a aglomerações para todas as regiões paulistas.

“Os dados dos últimos dias sustentam a necessidade de políticas mais restritivas, que reduzem aglomeração e circulação de pessoas”, afirmou o secretário estadual da Saúde, Jean Gorinchteyn. “Amarelo quer dizer atenção e respeito às regras sanitárias, evitando aglomerações, festas e encontros que estão levando o vírus a circular mais entre a população”, acrescentou.

Válida até 04 de janeiro de 2021, a medida não fecha estabelecimentos em nenhuma das 645 cidades paulistas. Com o regresso de todo o Estado para a terceira das cinco fases do Plano SP, atividades como bares, restaurantes, academias, salões de beleza, shoppings, escritórios, concessionárias e comércios de rua voltam a ter limitações de horário e capacidade de público.

O atendimento presencial em todos os setores fica restrito a dez horas diárias, sequenciais ou fracionadas, e 40% de capacidade. Os estabelecimentos terão que fechar o atendimento local até as 22h. Todos os eventos com público em pé estão proibidos na fase amarela.

Outra medida de prudência decidida pelo Estado é a redução do prazo de análise dos dados da pandemia e capacidade de atendimento hospitalar por região. A medição de médias móveis de casos, mortes e taxas de internação de pacientes com Covid-19 passa a ser considerada em intervalos de sete dias, e não mais a cada quatro semanas.

A decisão desta segunda não altera a programação de volta às aulas da Secretaria de Estado da Educação. Tampouco há previsão novo fechamento de escolas para aulas presenciais com limitação de alunos por turmas e turnos.

Prevenção

O governador reforçou o apelo para que toda a população mantenha o engajamento e a mobilização para conter a pandemia. “Até a chegada da vacina e a imunização dos brasileiros, precisamos ter cautela e muita orientação, principalmente aos mais jovens. Precisamos do apoio da população e de micros, pequenos, médios e grandes empresários. Por favor, evitem aglomerações, usem máscaras, lavem as mãos e compreendam que a Covid-19 não foi embora”, frisou Doria.

Leia também:

PT volta ao comando das prefeituras de Diadema e Mauá

COMPARTILHAR: