ABC - Política -

Em Diadema, Lula celebra 35 anos da conquista da primeira prefeitura petista e fala em revogar reformas

Aos 72 anos, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva confirmou, na tarde deste sábado (18), na Praça da Moça, em Diadema, que está pronto para uma nova disputa presidencial “se os companheiros do PT e o povo quiserem”. Ele aparece na liderança em pesquisas recentes de intenção de voto, apesar da possibilidade de ser condenado em segunda instância por crimes de corrupção e lavagem de dinheiro.

O ato na cidade do Grande ABC comemorou os 35 anos da primeira vitória do PT para o comando de uma prefeitura no país – justamente a de Diadema com o metalúrgico Gilson Menezes, em 1982. O Partido dos Trabalhadores foi fundado em 1980.

Lula afirmou ainda que, caso seja reconduzido ao Palácio do Planalto, vai revogar a reforma trabalhista e atuar contra privatizações. O ex-presidente defendeu que “salário não é renda”. Para o petista, o “povo” (trabalhador) não deve pagar Imposto de Renda sobre seus vencimentos e a tributação deve recair sobre os “ricos” (empresários).

Governo Temer

“Eles (os golpistas) dizem que tiram direitos para gerar empregos. Mas que tipo de emprego? Quais empregos eles estão criando?”, questionou. “Eu vou voltar e, se eu ganhar, vamos desfazer toda essa destruição (de direitos) que eles estão fazendo”.

O ato foi acompanhado pelo ex-senador Eduardo Suplicy, atualmente vereador em São Paulo; por vereadores petistas da região; pelos deputados estaduais Ana do Carmo, Luiz Fernando Teixeira, Teonílio Barba e Luiz Turco; pelo deputado federal Vicentinho; e pelos ex-prefeitos Mário Reali e José de Filippi Júnior, de Diadema, Carlos Grana, de Santo André, e Luiz Marinho, de São Bernardo. Atual presidente estadual do PT e pré-candidato do partido ao governo de São Paulo, Marinho virou réu nesta semana em processo que investiga irregularidades na licitação e na construção do Museu do Trabalho e do Trabalhador, em São Bernardo .

Em nota, a assessoria do ex-prefeito diz que ele tem “absoluta convicção da lisura do processo de licitação e obra do Museu do Trabalho e do Trabalhador”. Em entrevista recente à RDTV (TV do jornal Repórter Diário), Marinho declarou que se arrepende por não ter utilizado recursos próprios do município para concluir a obra. Recursos federais aguardados para a conclusão não chegaram e o atual prefeito da cidade, Orlando Morando (PSDB), defende que o prédio (inacabado) seja transformado numa Fábrica de Cultura do governo do Estado.

O primeiro

Com 68 anos, Gilson Menezes não participou do evento. O primeiro prefeito da história do petismo se aposentou da política e mudou para Santa Cruz da Conceição, no Interior paulista. A decisão foi tomada após a eleição de 2016, quando foi candidato a vereador em Diadema, pelo PDT, e obteve apenas 360 votos.

O ex-sindicalista Gilson Menezes em frente ao Paço de Diadema, que comandou de 1983 a 1988 pelo PT

Com 68 anos, primeiro prefeito petista no Brasil “pendurou as chuteiras” e hoje vive no Interior de São Paulo

Além de ter governado a cidade de 1983 a 1988 pelo PT, Gilson esteve à frente do Paço de 1997 a 2000 (eleito em 1996 pelo PSB). Em 2008, abriu mão de ser candidato e foi vice na chapa petista, encabeçada por Mário Reali, que governou de 2009 a 2012 (ano em que a dobrada se repetiu, mas foi derrotada nas urnas). Um dos fundadores do PT, o ex-prefeito ainda foi eleito deputado estadual em 1991 e 1994 (ele deixou o segundo mandato na Assembleia Legislativa dois anos depois para reassumir a Prefeitura). Além de PT, PSB e PDT, Gilson passou por PMDB, PSC e pelo extinto PL (atual PR).

Leia também:

Atila endurece discurso contra Alckmin e a Sabesp sobre falta de água em Mauá

 

Compartilhar: