ABC - Economia - Grande SP -

Coronavírus: em 02 dias de isolamento voluntário, varejo tem queda de 32% no fluxo de clientes

Estudo da Seed Digital se refere a segunda-feira (16) e terça-feira (17) em relação à média do ano; queda foi maior nas lojas de shopping (-43,65%)

O fluxo de consumidores no varejo físico brasileiro caiu 32,49%, na segunda-feira (16) e na terça-feira (17), em relação à média do período em 2020, segundo informações da empresa Seed Digital, maior plataforma de coleta e análise de dados em lojas físicas do Brasil, feito para mostrar como a pandemia do novo coronavírus está afetando o comércio. Nas lojas de shopping a queda foi bem maior, de 43,65%, enquanto nas lojas de rua o recuo foi de 20,07%.

“A queda se acentuou nos primeiros dias da semana e a tendência é se intensificar a cada dia, pois mais pessoas estão em casa, as aulas foram suspensas e a recomendação das autoridades de saúde é de isolamento. Por outro lado, o ticket médio das lojas pode aumentar, uma vez que consumidores estão estocando produtos, embora não haja risco de desabastecimento”, comenta Sidnei Raulino, CEO da Seed Digital. “Serviços de entrega de alimentos e produtos e vendas online devem disparar”, completa.

Comparação anual

Em relação ao mesmo período do ano passado, nos dias 16 e 17 deste mês as quedas no movimento foram foram de 16,96% no varejo geral, de 28,5% nas lojas de shopping e de 9,63% nas lojas de rua. As lojas de shopping e de rua têm pesos diferentes na pesquisa.

Evolução entre 09 e 17 de março (% em relação à média 2020) / resultados por dia:

Os dados da Seed Digital são fundamentados em pesquisa realizada no varejo ampliado, em três mil pontos, entre shopping centers e lojas de rua, distribuídos em 23 estados e 149 cidades do Brasil.

“Como os shoppings são lugares mais fechados e normalmente resultam em maior aglomeração de pessoas, há um movimento normal da população de evitar esse tipo de ambiente. Vamos acompanhar o fluxo de pessoas nas próximas semanas e mensurar o real impacto da quarentena para o varejo físico”, comenta Raulino.

Recomendações

“O lojista deve manter o mínimo necessário de operação ao enfrentar este momento e redobrar os cuidados com higienização do ambiente e dos funcionários”, diz o CEO da Seed Digital. Ele recomenda para os lojistas implementar revezamento de equipes e horários alternativos, cancelar reuniões e eventos e evitar aglomerações.

Leia também:

Governo do Estado recomenda fechamento de shoppings e academias da Grande São Paulo

COMPARTILHAR: