ABC - Economia -

Santo André e São Bernardo são destaques do ABC em ranking imobiliário

Em recente pesquisa que mostra os 32 municípios da Região Metropolitana de São Paulo que mais receberam lançamentos imobiliários nos últimos dez anos, São Bernardo do Campo e Santo André (foto) foram os destaques do ABC. O estudo, do grupo Zap Viva Real, exclui a capital paulista.

São Bernardo e Santo André aparecem em terceiro e quarto lugar no ranking, respectivamente. A liderança é da cidade de Guarulhos, seguida por Osasco, conforme já antecipado pelo blog.

São Bernardo: com 27 mil lançamentos, cidade ficou em terceiro lugar no ranking metropolitano

O número de novos apartamentos entregues em São Bernardo corresponde a 11% do total na região avaliada. O município, de 827.437 habitantes, teve quase 27 mil lançamentos no período. Já Santo André, com 715.231 habitantes, lançou em torno de 25 mil unidades (10%), movimentando R$ 10,8 bilhões em vendas.

A oferta e a procura por imóveis fora da cidade de São Paulo é uma tendência que continuará aumentando, segundo especialistas. A Grande São Paulo – onde estão inseridas as cidades que integram a região conhecida como ABC Paulista – vem despertando cada vez mais interesse devido à proximidade com a Capital e, sobretudo, aos preços mais acessíveis.

Para o professor de Mercado Imobiliário da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU-USP), João Meyer, o histórico de investimentos nas regiões do ABC, Guarulhos e Barueri, por conta da industrialização, proporcionou uma boa infraestrutura e impulsionou o consumo. “São os locais da Região Metropolitana que se desenvolveram mais, têm melhores serviços e mais empregos”, disse em entrevista ao caderno de Imóveis do Estadão.

Para ele, por conta desse ambiente econômico, a crise dos últimos anos afetou com menos intensidade o mercado local, composto principalmente por opções mais econômicas do que na Capital. É sabido, no entanto, que cidades como Santo André, São Bernardo, São Caetano do Sul e Diadema já discutem uma nova vocação econômica, devido ao êxodo ou ao fechamento de indústrias verificado nos últimos anos. O foco regional tem sido as áreas de tecnologia e serviços.

Em Santo André, o valor médio do metro quadrado é de R$ 6.207. Em São Bernardo, R$ 6.195. Para efeito de comparação, em São Paulo o valor médio do m² em fevereiro era de R$ 9.787. Diadema (7º lugar), São Caetano (8º) e Mauá (10º) são outras cidades do ABC que figuram no ranking (Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra ficaram de fora).

São Bernardo e Santo André deverão seguir na frente em volume de lançamentos num futuro próximo, no Grande ABC, opinam profissionais do setor imobiliário ouvidos pelo blog. Além de serem as maiores cidades da região, são as que possuem mais áreas disponíveis para investimentos. Diadema e Mauá são outras apostas, embora o mercado tenha desacelerado um pouco nesses municípios nos últimos anos. Já em São Caetano a falta de terrenos é o complicador.

Melhores posições

Com exceção da Capital, foram colocados no mercado da Região Metropolitana 1.944 novos empreendimentos com aproximadamente 251 mil novos apartamentos. Só as primeiras cinco cidades do ranking (Guarulhos, Osasco, São Bernardo, Santo André e Barueri) receberam 155 mil novos apartamentos nos últimos dez anos, o que representa 60% do total – a soma de investimentos feitos nessas localidades chega a R$ 59,1 bilhões.

Confira as cidades que mais lançaram na RMSP (com exceção da Capital):

1º) Guarulhos – 48.06619 unidades (19% do total)
2º) Osasco – 32.45812,9 (12,9%)
3º) São Bernardo do Campo – 26.73710,6 (10,6%)
4º) Santo André – 24.7639,9 (9,9)
5º) Barueri – 23.1309,2 (9,2%)
6º) Mogi das Cruzes – 13.5885,4 (5,4%)
7º) Diadema – 10.6634,2 (4,2%)
8º) São Caetano do Sul – 10.5814,2 (4,2%)
9º) Cotia – 9.9944,0 (4,0%)
10º) Mauá – 7.6293,0 (3,0%)

(Com informações de O Estado de S. Paulo – Estadão)

Leia também:

Vinícola Garibaldi quer ampliar visibilidade na região do ABC

Compartilhar: