ABC - Política -

Prefeito de Diadema é recebido pelo governo do Estado após protesto

Protagonista de um protesto no Terminal Diadema, o prefeito Lauro Michels (PV) conseguiu ser recebido nesta sexta (06) pelo secretário estadual de Transportes Metropolitanos, Clodoaldo Pelissioni, que se comprometeu a encaminhar as demandas do verde ao governador Geraldo Alckmin (PSDB). Lauro esteve acompanhado de seu primo, o vereador Marcos Michels (PSB).

Clodoaldo chegou a classificar como “escândalo” a atitude de Lauro de usar o próprio carro oficial para bloquear o acesso ao terminal e disparar críticas a Alckmin e ao prefeito da capital, João Doria (PSDB). A atitude foi mal vista por aliados do governador e o Pelissioni chegou a declarar que revogaria a cobrança da integração (R$ 1,00) nos terminais da cidade, desde que a Prefeitura de Diadema assumisse os custos. Nem precisou.

Justiça foi mais rápida

Liminar do juiz Paulo Furtado de Oliveira Filho, do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), determinou a suspensão do reajuste de 14,8% nas tarifas de integração entre os ônibus municipais da capital (SPTrans) com os trens do Metrô e da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos). O valor passaria de R$ 5,92 para R$ 6,80 neste domingo (08), mas a tarifa básica continua em R$ 3,80.

Com base em ação movida pela bancada do PT na Assembleia Legislativa, o juiz também determinou a suspensão da cobrança da integração nos terminais, que varia de R$ 1 a R$ 1,65. No entanto, o aumento dos ônibus metropolitanos foi mantido (no Corredor ABD, vai de R$ 4,00 para R$ 4,30).

Cabe recurso por parte do governo do Estado, que terá que apresentar justificativas para os reajustes.

decisao1

decisao2

 

 

 

Compartilhar: