ABC - Sociedade -

Jornalista Pedroso de Moraes morre aos 71 anos, em São Caetano

pedroso tribuna do abcd

Fundador e editor do jornal Tribuna do ABCD estava internado com complicações pós-Covid 

O jornalista Antonio Julio Pedroso de Moraes morreu nesta sexta-feira (24), aos 71 anos, em decorrência de complicações da Covid-19. Ele estava internado na UTI do Hospital Maria Braido, em São Caetano do Sul.

Pedroso fundou e dirigia o jornal Tribuna do ABCD, com sede em São Caetano, e circulação ininterrupta ao longo 30 anos. O veículo era uma referência na comunicação local e regional, contemplando as sete cidades do Grande ABC.

Pedroso teve Covid-19 no mês de setembro, o que agravou suas condições físicas em razão de outras comorbidades, inclusive a suspeita de um câncer de fígado. Segundo sua filha, a também jornalista Mariana Pedroso, os médicos estavam investigando a doença para fechar diagnóstico.

Prefeito recém-empossado de São Caetano, José Auricchio Júnior (PSDB), lamentou a morte de Pedroso. “O amigo Pedroso nos deixou nesta véspera de Natal. Um entusiasta do bom jornalismo e uma grande liderança da comunicação da nossa região, sendo editor e proprietário de um dos principais veículos de imprensa, a Tribuna do ABCD. Pedroso foi um grande parceiro de minha vida pública, deixa lacuna irreparável no jornalismo regional, mas especialmente na amizade que sempre tivemos”, publicou nas redes sociais.

Além de Mariana, Pedroso deixa o filho Max e a esposa, Alméria. O velório ocorrerá neste sábado (25), das 7h às 11h, no Velório Municipal de São Caetano (rua Rio Grande do Sul, 790), e o enterro será no Cemitério da Saudade, no bairro Cerâmica, às 11h30.

Trajetória

Nascido na estância hidromineral de Socorro (SP), quando chegou ao ABC morou inicialmente em Santo André, depois São Bernardo do Campo e, finalmente, São Caetano do Sul, onde fixou residência há 56 anos. Além de jornalista, Pedroso era acadêmico da Academia Brasileira de Ciências e Letras (ABRASCI), comendador e chanceler.

pedroso tribuna do abcd 2

Título de comendador era motivo de orgulho para o jornalista

Com 54 anos de carreira, atuou como diretor do jornal de São Caetano do Sul, do Jornal do Lar e fundou ainda os jornais Voz Metalúrgica, do Sindicato dos Metalúrgicos de São Caetano do Sul, e O Índio, do CRE (Centro Recreativo e Esportivo) Tamoyo. Em 2000, recebeu do Legislativo o  título de cidadão sul-caetanense.

No ano de 2015, Pedroso foi convidado para contar sua trajetória e curiosidades sobre São Caetano e o ABC, da comunicação à política, no programa “Frente a Frente”, dirigido pelo jornalista Gustavo Baena, editor do Blog do Baena, na extinta TVSC. A atração traçava um perfil de pessoas que contribuíram para a história e o desenvolvimento da cidade e da região.

Leia também:

Auricchio toma posse e defende geração de empregos, justiça social e a Ciência

COMPARTILHAR: