ABC - Política -

“Fórum da Cidade” discute mudanças no Plano Diretor e vocação de Diadema

Qual é a real vocação de Diadema? A partir desta reflexão foi aberto o “Fórum da Cidade”, um canal de diálogo entre poder público, empresários e sociedade sobre as principais mudanças que precisam ser feitas no novo Plano Diretor.

O prefeito Lauro Michels (PV), o vice-prefeito e chefe de Gabinete, Márcio da Farmácia, e secretários municipais se encontraram com 20 empresários para debater o futuro da cidade. A reunião foi realizada na manhã desta segunda (08), no anfiteatro do Paço Municipal.

“Será que Diadema tem apenas vocação industrial? Que tipo de mão de obra os empresários precisam? O que queremos para o futuro da nossa cidade? Para os próximos 10 anos? O novo Plano Diretor será construído em conjunto e os empresários terão voz e participação efetiva”, comentou o prefeito.

Diadema tem apenas 30,7 km² e a segunda maior densidade demográfica do país (são 415.180 habitantes segundo o IBGE). Não há áreas disponíveis para expansão. Por isso, governo e empresariado concluem que o município necessita de adequação e equilíbrio entre área industrial, residencial e de interesse social, ainda mais pelo fato de estar localizado num ponto estratégico com fácil acesso ao Rodoanel, aeroportos e ao porto de Santos.

A retomada do desenvolvimento econômico é uma das mudanças que constam no plano e está em discussão para fomentar mão de obra qualificada e atrair os investidores com benefícios como isenção de IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) e ISS (Imposto Sobre Serviços). Os incentivos serão concedidos por meio dos CEPACs (Certificados de Potencial Adicional de Construção).

Para empresários, é importante a participação de todos na elaboração do novo plano e deve haver equilíbrio

Para empresários, é importante a participação de todos na elaboração do novo plano e deve haver equilíbrio

Segundo o presidente mundial da Indústria e Comércio de Produtos Metálicos TTB, Francisco Gomes, Diadema é um grande polo em desenvolvimento. “A cidade tem tudo para agregar mais valor. A TTB está na cidade há 62 anos e queremos continuar. É importante a participação de todos na construção do Plano Diretor”, afirmou.

A Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, em parceria com as secretarias de Habitação e Desenvolvimento Urbano, Planejamento, Finanças e a Fundação Florestan Fernandes, está coordenando o “Fórum da Cidade”. Diversos encontros estão previstos para a conclusão do projeto de lei.

“Em 2018, obrigatoriamente, o Plano Diretor deverá ser revisto. A gestão está se antecipando e vamos ouvir todos os representantes da cidade. Nos próximos três anos, serão mais 60 mil habitantes, aproximadamente, morando aqui. Precisamos de um equilíbrio”, comentou a secretária de Habitação, Regina Gonçalves.

Leia também:

R$ 28 mihões: investimento da Sabesp em Diadema visa reduzir perda de água

Compartilhar: