ABC - Sociedade -

Cenas de guerra em “Éramos Seis” foram gravadas em Paranapiacaba

Revolução de 1932 trará mortes e mudanças nos rumos de personagens na trama global das seis 

Nos próximos capítulos de “Éramos Seis”, o público começará a acompanhar uma guerra contra o governo federal, que vai eclodir devido à insatisfação política que já tomava conta da capital paulista. Muitas cenas do conflito foram gravadas na vila histórica de Paranapiacaba, em Santo André, região do ABC Paulista. Outras cidades do Estado, como Campinas, serviram de locação para este momento impactante da trama da Rede Globo.

Além de trazer mais sofrimento para Dona Lola (Glória Pires), o conflito – baseado na Revolução Constitucionalista de 1932 -, afetará a trajetória de todos os personagens da novela. Filho problema da matriarca, Alfredo (Nicolas Prattes) dirá à mãe que vai se juntar ao Exército e lutar em memória do irmão Carlos (Danilo Mesquita), atingido por uma bala durante uma manifestação em São Paulo.

No front, Tião (Izak Dahora) morrerá após ser atingido para salvar Alfredo de uma situação de perigo. Lúcio (Jhona Burjack), que também seguirá para a batalha, vai escapar da morte, depois de levar um tiro no peito, graças a uma Bíblia de bolso entregue pela mãe, Genu (Kelzy Ecard). Em vez do “milagre”, a morte do personagem chegou a ser anunciada inicialmente – ele seria assassinado pela polícia ao protestar contra o Estado Novo -, mas Angela Chaves, autora desta versão do clássico de Maria José Dupré (1898-1984), parece ter mudado de ideia.

Zeca (Eduardo Sterblitch), Inês (Carol Macedo) e Adelaide (Joana de Verona) terão papéis importantes  no episódio, inspirado em momento histórico real – quando os paulistas insatisfeitos com a política de Getúlio Vargas (1882-1954) entraram em guerra contra o governo do país. Para ficar perto de Alfredo, Adelaide vai trabalhar como repórter, noticiando o que acontece durante o confronto e desagradando a mãe, Emília (Susana Vieira). Já a enfermeira Inês prestará auxílio aos feridos. Sem se envolver diretamente no confronto, Zeca ajudará Lola e Afonso (Cássio Gabus Mendes) a pedir doações e recolher mantimentos.

A feminista Adelaide (Joana de Verona) irá para a guerra como correspondente (Fotos: Guilherme Azevedo / Rede Globo)

As cenas estão previstas para os capítulos que serão exibidos a partir da próxima quinta (13).

(Com informações da Folha de São Paulo)

Leia também

Médica “empoderada” pediu demissão de hospital de São Bernardo para entrar no “BBB 20”

COMPARTILHAR: