ABC - Política -

Morando mira pichadores e implica com “prostíbulos”

Firme no propósito da “tolerância zero”, o prefeito de São Bernado, Orlando Morando (PSDB) segue evidenciando o discurso da austeridade em sua gestão e vem promovendo a revitalização de bairros da cidade. Sempre que possível, apontando a “culpa” da gestão passada por problemas, inclusive financeiros.

O alvo agora são os pichadores – assim como mirou também sua fonte de inspiração, o prefeito da Capital, João Doria (PSDB) – e as propagandas em muros. Morando, que dia desses se vestiu de agente e trânsito e de jardineiro, diz que equipes da Prefeitura já vem arrancando faixas colocadas de forma irregular nas ruas, “ainda que sejam de aliados políticos”.

Por tabela, atinge outro público: as casas de diversão adulta. “Não vai ter propaganda de prostíbulo nos postes e muros da cidade”, brada o chefe do Executivo, na tentativa de dificultar o acesso do público masculino a esses espaços (embora nenhum anúncio classifique dessa forma a atividade dos estabelecimentos e deixe claro os serviços disponíveis).

Mas os “marmanjos de plantão” bem sabem que há outras formas de ficarem por dentro das “baladas”. É só Morando não implicar com a divulgação de garotas que entregam flyers em cruzamentos do município. Meninas, ele está de olho, e não está gostando!

Mãos de tesoura

Assim batizado por alguns jornalistas por conta de seu plano de corte de gastos, o prefeito de São Bernardo viu recentemente uma de suas intervenções resultar em polêmica: a retirada de ambulantes da Praça Lauro Gomes, no Centro. Segundo a administração, que promoveu shows no local neste fim de semana, “a população aprovou a reabertura, após a saída dos ambulantes e a revitalização”.

Mas a novela ainda está longe de terminar, afinal, Morando se define “o trabalhador” e a “Cidade do Trabalho” agora tem mais gente desempregada. A informação oficial é que os artesãos que ocupavam o local serão realocados para o entorno – embora o clima ainda seja de insatisfação com a medida.

E tem mais gente querendo trabalhar em São Bernardo, mas na Prefeitura. Ciente de que há apoiadores esperando cargos na municipalidade, inclusive batendo cartão em eventos e fazendo marcação cerrada, o prefeito afirma que, por enquanto, vai segurar as nomeações de comissionados para conseguir pagar salários do funcionalismo – nem definiu ainda os subprefeitos de Rudge Ramos, Riacho Grande e Alvarenga. O bloco dos chateados e impacientes pede passagem!

Compartilhar: