ABC - Sociedade -

Polêmica animal: filha de Eder Xavier é proibida de entrar no CCZ de São Caetano

Uma das protetoras dos animais mais atuantes em São Caetano, Analy Xavier acaba de ser barrada e não pode mais visitar o CCZ (Centro de Controle de Zoonoses), onde estão o Canil e o Gatil municipais. Detalhe: ela é filha do ex-vereador Eder Xavier (da Trombeta), teoricamente desafeto do atual prefeito José Auricchio Júnior (PSDB) – há quem garanta que está rolando uma aproximação.

Segundo informação que chegou ao blog, Analy teria ouvido (por telefone) de um funcionário que, por “ordens superiores”, estaria proibida de entrar no espaço para onde são levados os animais abandonados na cidade a partir do dia 18 (quinta-feira passada). O fato indignou outras voluntárias da causa animal de São Caetano.

Explica-se: nos últimos quatro anos, a atuação de Analy foi de extrema importância para o avanço de São Caetano na defesa dos animais. Ela foi uma das impulsionadoras da revitalização do Gatil Municipal, em 2014, e da liberação de cães no Parque Catarina Scarparo D’Agostini, o Chiquinho – que ganhou também o primeiro Espaço Canino do município, em 2016. Em muitas das iniciativas, investiu recursos próprios ou buscando parcerias com a iniciativa privada, caso da Cobasi, empresa de renome no setor (com a qual já estaria planejando ações para propor ao atual governo).

Por seu trabalho voluntário em prol dos animais, Analy (segunda da esq. para a dir.) chegou a ser homenageada no governo Paulo Pinheiro

Por seu trabalho voluntário em prol dos animais, Analy (segunda da esq. para a dir.) chegou a ser homenageada no governo Paulo Pinheiro

Analy foi idealizadora e mediadora do projeto “São Caetano Cidade Modelo no Trato Animal” e marcava presença nas feiras de adoção de cães e gatos promovidas pela Prefeitura, como voluntária. Ela chegou a receber homenagens durante a gestão do ex-prefeito Paulo Pinheiro (PMDB) por seu empenho. Devido a esse histórico é que outras voluntárias estão indignadas (o blog apurou que, desde a mudança de governo, Analy seguia participando das feiras, intermediando adoções e visitando o CCZ com certa frequência para prestar ajuda).

Procurada, ela se limitou a dizer que “está sem entender e que isso a entristece”, pois não gosta de misturar as coisas. Nos bastidores, o blog apurou também que, curiosamente, Analy e o pai estão de relações cortadas desde o início do ano. Uma das ONGs de proteção animal da cidade ainda estaria interessada em inserir seu pessoal no CCZ, mas sem a participação de outras voluntárias. Tudo isso torna o episódio ainda mais intrigante.

O BLOG DO BAENA procurou a Prefeitura para saber se tal determinação teria partido mesmo do Executivo e aguarda uma posição oficial.

Leia também:

Auricchio inaugura praça que já existe em São Caetano

 

 

Compartilhar: